Friday, February 27, 2009

POEMAS BARRETO/XAVIER 61

O INSTITUTO JOSÉ XAVIER de Granja abriu inscrições para o V CONCURSO ANUAL DE REDAÇÃO dirigido a alunos do 5º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, regularmente matriculados em instituições de ensino do município. Os interessados em participar deverão fazer suas inscrições na sede do Instituto José Xavier (IJX), localizado na Rua Pessoa Anta, 564, Centro, Granja, Ceará. O tema do Concurso deste ano é o poeta LÍVIO BARRETO reconhecido nacionalmente como uma das figuras do Simbolismo em nosso País. Postamos aqui um manuscrito inédito do poeta, datado de 1/5/1888 e dirigido ao seu amigo Luiz Felipe de Oliveira. Mostramos também uma foto da página de rosto de seu livro póstumo "Dolentes" - um exemplar com o autógrafo de seu sobrinho José Barreto.





Leia mais!

GRANJA ENTRE MUNICÍPIOS SEM MERENDA ESCOLAR

Pelo menos 895 municípios devem ficar sem repasse de recursos para a merenda escolar.
A Granja está entre esses municípios.

Clique no link para ler a notícia completa no UOL. Pelo menos 895 municípios devem ficar sem repasse de recursos para a merenda escolar UOL Educação - 26/02/2009

http://educacao.uol.com.br/ultnot/2009/02/26/ult105u7649.jhtm

(Da Agência Brasil)


Leia mais!

Thursday, February 26, 2009

VISTAS DA GRANJA 83








Leia mais!

Wednesday, February 25, 2009

HISTÓRIAS DE JORGE RAPOSO 3

Bolo de rolo

Logo que entrou em casa foi tomar banho com a Maria lá em baixo com a água fria do pote. Quando ela o enxugou e ele ficou pronto já eram quase quatro horas e ele estava com uma fome danada. Sua mãe disse:

- Não vai comer nada, não, pois no aniversário vai ter bolo, na certa.

Jorginho foi só, pois a casa do Chiquinho era do outro lado da pracinha, atrás da sua. Quando ele chegou, já tinha menino pra todo lado. O Cioba, o “crooner” da cidade e seu conjunto animavam a festa. Ele ficou em um canto enquanto os outros conversavam, brincavam e se divertiam. Chegou a hora dos parabéns, todos cantaram e bateram palmas. Depois ganhou um pedaço de Luiz Felipe bem gorduroso, que adorava. Enquanto isso acompanhava, meio a contragosto, o conjunto tocar uma música que ele nunca tinha ouvido. Sem ter dado parabéns para o Chiquinho, que completava oito anos, voou para casa. Mal chegando lá sua mãe já foi perguntando:

- Jorge, como foi a festa do Chiquinho, você gostou?

Ele respondeu aborrecido:

- É! A música tocando e eu comendo bolo!

Vanessa chamou o menino e lhe disse:

- Vitinho tira teu avô do sol que já está esquentando e dá esta fatia de rolo pra ele.

- Ta certo!

- Vô acorda! Disse ele chegando à varanda e puxando o velho na cadeira de rodas.

Seu avô abriu os olhos e sorriu para o neto. Recebeu o pratinho com a fatia do bolo de rolo e começou a comer aquela delícia que lhe trazia mais recordações.
Leia mais!

Tuesday, February 24, 2009

HISTORIETAS DO MEIO DA SEMANA 71

A pedra na rua

A rua era bem estreita e na calçada do lado direito, quando se tinha de fazer a curva, havia uma grande pedra que impunha cuidado. Ele lembrou que alguém poderia bater nessa pedra e provocar um desastre. Logo que ele dobrou e se afastou no seu carro ouviu o barulho de uma batida e muita gente correndo exatamente para o local em que havia a tal pedra. Ele conseguiu voltar e viu uma figura de mulher com a cabeça inclinada dentro de uma camioneta, e sem um dos braços, o direito, que jazia no chão, e imaginou que ela estivesse morta. Chamaram por socorro e logo depois ele viu alguém conversando com a tal mulher que já estava com o seu braço no lugar e dizendo para os que estavam observando que não tinha acontecido nada e que ela não havia morrido.

Leia mais!

Monday, February 23, 2009

HISTÓRIAS DAS TERÇAS 42


A fila matinal

O Administrador tinha mais de dez assessores, mas ele achava difícil tomar decisões, importantes ou não. Ele achava que resolveria o problema se os pusesse em fila logo pela manhã a fim de ouvir a opinião de cada um sobre o assunto principal do dia. Após ouvir todos, ele ainda tinha dúvidas. Mas seu sobrinho salvou-o delas dizendo que ele sempre podia aplicar a sugestão que o último assessor sugerisse. Daí em diante sua Administração foi o maior sucesso, pois a posição dos assessores na fila matinal era por motivos os mais diversos, sempre diferente.

Leia mais!

Sunday, February 22, 2009

HISTORIETAS DE SEGUNDA-FEIRA 115


Buraco negro

Curioso, Wladimir foi pesquisar o significado das palavras no laudo de TC de seu cérebro. Ele conseguiu, ou assim lhe parece, entender o que o doutor escreveu. Em resumo, vendo o buraco negro que aparece no exame, o médico escreveu: “O paciente com sua idade provecta, comprovada agora, apresenta o buraco negro já nosso conhecido. A conseqüência disso é que todos os pensamentos libidinosos que tenha a partir de agora cairão nele, buraco negro, e serão eliminados. O velhinho se verá livre deles”.

Leia mais!

Friday, February 20, 2009

POEMAS BARRETO/XAVIER 60

MÁRIO BARRETO XAVIER nasceu na Granja (1906) e era filho de Elisa Barreto Xavier e de Ignácio Xavier. Faleceu em São Paulo em 1969.
SOLILÓQUIO DO PEQUENO BURGUÊS

(Inspiração do monstro Inácio de Loiola)

Quero ser fiel a mim mesmo, à minha época
odeio todas as formas imagináveis da EDUCAÇÃO
não desejo que minha inferioridade deixe de ser eterna
meu orgulho não tem medidas: é incompatível com as influências
mas nem mesmo parando encontrarei o equilíbrio
amarei para sempre o Inferno, estarei sempre dentro dele;
com estranho poder inverto todas as transformações;
na minha passividade não há fraqueza, há uma coragem impossível que se vinga da inteligência;
minha ignorância é vasta, e muito mais inventiva do que a Vida, -
- por isso minha consciência se dá conta dos processos mas resiste a eles;
sou devorado completamente pelas contradições, mas não morro; -
- elas nunca conseguirão destruir a solução de continuidade que o
Tempo arranjou entre MIM e o COSMOS;

Eis aí a ETERNIDADE e o INFINITO,
Eis aí a EQUAÇÃO.

------------------------------------- 2-10-34 ------------------------------------

Leia mais!

Thursday, February 19, 2009

VISTAS DA GRANJA 82





Leia mais!

Wednesday, February 18, 2009

HISTÓRIAS DE JORGE RAPOSO 2


Opção

O rio estava a toda largura e rugia com tal intensidade que era ouvido até no Alto do Cemitério. Jorge caminhava tentando afastar-se dele, mas parece que o rio exercia uma descomunal atração em seu espírito de tal sorte que, em pouco tempo, ele chegou a sua margem. Logo fincou os pés na areia úmida e ficou mirando o emaranhado de espuma formado pela queda da água da barragem e que descia em grande velocidade em busca de seu destino. Jorge sabia que o rio era perigoso, não tanto por seu formidável caudal, mas pelo fato de que ele só sabia nadar “de cachorrinho” o que seria morte certa se caísse na água. Quanto mais esses pensamentos racionais ele tinha mais a atração se exercia. Era uma verdadeira luta entre o bom, que era ficar olhando o belo espetáculo e o horror que seria – ele imaginava, não tinha experiência – cair na água e ser arrastado pelas águas barrentas. No primeiro caso ele poderia conservar a lembrança das imagens do rio cheio, mas no segundo ele não teria como livrar-se do seu destino ditado pelo passo errado.

Leia mais!

Tuesday, February 17, 2009

HISTORIETAS DO MEIO DA SEMANA 70

Separação

Estávamos na casa do Tio Jonathan, Cleonice, Wilma, Tia Emily, eu e mais outras pessoas. Era uma casa grande com uma árvore em uma área interna, uma sala com livros de medicina e, naturalmente, outros aposentos. Havia alguém doente e mexíamos nos livros. O velho reclamou aos gritos:

-Não admito que mexam nos meus livros! Forçou-nos a tomar a decisão de sair da casa.

Logo depois Tia Emily pediu desculpas e disse que pediria a separação imediatamente.
Leia mais!

Monday, February 16, 2009

HISTÓRIAS DAS TERÇAS 41


Pensamentos proibidos

Sentado em sua cadeira de velhinho sem orgulho de velho ele tinha pensamentos proibidos. Não tão proibidos, mas você pode imaginar que tipo de pensamento era. Só para aguçar a curiosidade: ele só se interessava em travar conhecimento com garotinhas bem jovens e desprotegidas. Ele havia deixado de perseguir as mais velhinhas e “sua faixa etária” agora ficava entre os dezoito e os vinte e cinco. Atualmente ele “estava de olho” em três garotas que tinham pretensões ao trono. Lolita era a mais forte candidata, mas ele acreditava que nem essa chegaria até lá. Todas bem bobinhas. Ele notava estar ganhando de volta seu orgulho de velho. O que seria isso? Seria Ella e suas artimanhas?

Leia mais!

Sunday, February 15, 2009

HISTORIETAS DE SEGUNDA-FEIRA 114


Sonho de fascista

Subitamente, em meio ao burburinho no corredor, ele ouviu:

-Raposo tu é um entreguista! Sai daí fascista!

Reconheceu a voz do Boris que entrava na sala, gritando mais impropérios. Não respondeu e ficou esperando o que iria acontecer.

-Tu é mesmo um fura-greves safado! Se tu assistir as aulas de hoje nós vamos te dar uma surra que nunca mais tu vai esquecer!

Ele continuou calado e apavorado. Não é que ele fosse covarde, mas eles eram muitos e o Boris era o líder maior da turma de esquerdistas que se enxameavam no colégio, principalmente à noite. Nunca lembrava do que tinha sucedido depois, mas o certo é que houve aulas, pelo menos as últimas e ele não levou a surra prometida.

-Patrão, está na hora de sua merenda! Disse Suzana, sua empregada, apresentando-lhe um pratinho com frutas cortadas e cobertas com mel de abelha.

Leia mais!

Saturday, February 14, 2009

POEMAS BARRETO/XAVIER 59

MÁRIO BARRETO XAVIER nasceu na Granja (1906) e era filho de Elisa Barreto Xavier e de Ignácio Xavier. Faleceu em São Paulo em 1969.

TRAVESSIA DA GUANABARA

A condição de pedra sonhando entre as águas que batem.
(E o Cristo firme
em cima da pedra
se vinga, pesado
com u´a cruz).
A respiração do vento sofre no peito da barca
e a viagem terá fim sob o céu sem estrelas.
Nas esquinas de Niterói encontrarei grupos conversando besteira
e o Brasil adormece, bastante complicado,
salve o ...
Leia mais!

Thursday, February 12, 2009

VISTAS DA GRANJA 81





Leia mais!

Wednesday, February 11, 2009

HISTÓRIAS DE JORGE RAPOSO 1

Veja lá menino! Num vai contar lorota não!

O menino a quem Dona Ignácia estava se referindo era o seu neto o Jorge a lorota que ela achava ele estar contando era sobre seus antepassados. O menino era ver um indiozinho, daí seu nome, andava dizendo que sua família vinha da Europa e também da Palestina, isto é, eles eram descendentes de judeus. Ninguém acreditava nessa história daí Dona Ignácia dizer que ele estava contando lorota.

- Quer dizer que ta todo mundo errado? Eu não acredito! Só porque o pai do menino botou o nome dele de Jorge Raposo? Isso não quer dizer nada, pois o meu é Ignácia da Conceição e eu não sou nem filha de Nossa Senhora da Conceição...
Leia mais!

HISTÓRIAS DE JORGE RAPOSO 0


(ESTA MORADA BEM PODERIA TER SIDO A DOS RAPOSO NA MALHADINHA)

HISTÓRIAS DE JORGE RAPOSO

Este descendente de ameríndios, negros e, principalmente, de europeus (ibéricos, sefarditas, mediterrâneos e outros) e de povos do Oriente Médio é um modelo pobre do mosaico genético do Nordeste do Brasil. Seus antepassados chegaram ao país no início da colonização formando, devido à miscigenação, uma única e solidária população.

As pequenas histórias que serão contadas aqui não são verdadeiras, mas foram criadas tendo por base a vivência de seu autor e relatos de outros ouvidos por ele ao longo de sua vida.
Leia mais!

Tuesday, February 10, 2009

200 ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO DE CHARLES DARWIN


Charles Darwin


2009 é o ano do 200º aniversário de nascimento (12 de fevereiro de 1809) de Charles Darwin e do 150º aniversário da publicação de seu livro A Origem das Espécies (24 de novembro de 1809).


Durante a sua vida, Charles Darwin tornou-se famoso internacionalmente como um influente cientista estudando tópicos controversos.


Charles Robert Darwin (Shrewsbury, 12 de Fevereiro de 1809 — Downe, Kent, 19 de Abril de 1882) foi um naturalista britânico que alcançou fama ao convencer a comunidade científica da ocorrência da evolução e propor uma teoria para explicar como ela se dá por meio da seleção natural e sexual. Esta teoria se desenvolveu no que é agora considerado o paradigma central para explicação de diversos fenômenos na Biologia. Foi laureado com a medalha Wollaston concedida pela Sociedade Geológica de Londres, em 1859.
Darwin começou a se interessar por história natural na universidade enquanto era estudante de Medicina e, depois, Teologia. A sua viagem de cinco anos a bordo do Beagle e escritos posteriores trouxeram-lhe reconhecimento como geólogo e fama como escritor. Suas observações da natureza levaram-no ao estudo da diversificação das espécies e, em 1838, ao desenvolvimento da teoria da Seleção Natural. Consciente de que outros antes dele tinham sido severamente punidos por sugerir idéias como aquela, ele as confiou apenas a amigos próximos e continuou a sua pesquisa tentando antecipar possíveis objeções. Contudo, a informação de que Alfred Russel Wallace tinha desenvolvido uma idéia similar forçou a publicação conjunta das suas teorias em 1858.
Em seu livro de 1859, "A Origem das Espécies", ele introduziu a idéia de evolução a partir de um ancestral comum, por meio de seleção natural. Esta se tornou a explicação científica dominante para a diversidade de espécies na natureza. Ele ingressou na Royal Society e continuou a sua pesquisa, escrevendo uma série de livros sobre plantas e animais, incluindo a espécie humana, notavelmente "A descendência do Homem e Seleção em relação ao Sexo" e "A Expressão da Emoção em Homens e Animais".
Em reconhecimento à importância do seu trabalho, Darwin foi enterrado na Abadia de Westminster, próximo a Charles Lyell, William Herschel e Isaac Newton. Foi uma das cinco pessoas não ligadas à família real inglesa a ter um funeral de Estado no século XIX.

(Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.)

Leia mais!

HISTORIETAS DO MEIO DA SEMANA 69



Casal abraçado

Tinha ido a um congresso na França. Vi-me chegando a um lugar onde já estavam o José Joaquim e um outro colega. Era dia, mas o ambiente estava escuro. Procurei alguma coisa para comer e o José Joaquim me indicou que na parte da frente talvez existisse algo. Passei por uma porta estreita e cheguei a um lugar mais claro onde estava um sujeito moreno e de lá saiu um casal abraçado. Ela era uma pessoa magra e estava coçando a virilha... A frente da sala dava para um pequeno pátio e foi até aonde cheguei e aí me deparei com um varal com dezenas de roupas coloridas postas a secar... Este pátio dava para uma estrada onde passavam muitos carros a toda velocidade...

Leia mais!

Monday, February 09, 2009

HISTÓRIAS DAS TERÇAS 40

Que dia é hoje?

Após fazer seus costumeiros exercícios pela manhã ele se pergunta: Que dia é hoje? Ubirajara está cada vez mais esquecido e está começando a se impacientar com isso. Ele diz que já está cansado. A isso sua empregada pergunta: Cansado de que homem? Ele não responde, mas a resposta fica com ele presa na cabeça e na língua, pois já saiu da garganta. Ele bem que gostaria de dizer que está cansado dos olhares magnéticos, dos sorrisos enigmáticos, dos telefonemas, dos convites para jantar. Era sempre assim, toda vida foi assim. Quando ele pensava ter alcançado o paraíso aparecia o anjo mau encarnado na figura d´Ella a lhe lembrar dos dias e que o seu estava pra chegar. Fazer o que?
Leia mais!

Sunday, February 08, 2009

HISTORIETAS DE SEGUNDA-FEIRA 113


Meu amigo Charles

Os amigos estavam em um bar, na Beira-mar. Começa um tumulto, uma briga e subitamente, alguém estava apanhando feio. Os outros pedem ao leão-de-chácara para acabar com a confusão. Ele é nosso amigo e consegue por fim à briga. Alguém do grupo toma pela mão aquele que estava apanhando e o apresenta a todos:

-Este é o Charles, meu amigo. Todos se entreolham, espantados. Charles morrera fazia muito tempo, poucos anos depois de formado.

Leia mais!

Friday, February 06, 2009

POEMAS BARRETO/XAVIER 58


INÁCIO XAVIER FILHO (1921-1999).

Requebros

Como a voz do bem-te-vi,
Como a luz da madrugada,
Como a cantiga da água,
Como o sabor do café
Tal é a voz da bem-amada...

O dia vai passar, pois a noite vai chegar...
O calor diminui, quando uma brisa sopra,
Pois que a brisa vem do mar.
O amor não passará,
Se a carne renovar...

2-1-89

Leia mais!

Thursday, February 05, 2009

VISTAS DA GRANJA 80




O RIO E O HOMEM

Jovem pescando no Rio Coreaú durante cheia na presente estação chuvosa.

Leia mais!

Wednesday, February 04, 2009

O Povo da Malhadinha/O Povo da Granja 84

Raimundo do Espírito Santo – 9

Filhos de índios

Feliciana e sua mãe, Siá Máxima, conversavam animadamente à porta de casa. As duas estavam muito zangadas com as notícias recentes vindas da Várzea. Um positivo trouxera de lá um dinheiro para o Capitão Raimundo do Espírito Santo e dissera para elas que o filho do Inaço tava espalhando que a menina Feliciana era filha do italiano morador da Amarração e que ela não tinha nada de sangue de índio. Ora isso era um descabimento, pois Siá Máxima nunca quis saber de envelope nenhum, nem daqueles de olho azul e agora essa história. Além do mais era só olhar pra tudo que era culumim, seus netos, que se via ser tudo filho de índio.
Leia mais!

HISTORIETAS DO MEIO DA SEMANA 68


Foto de anja (?)

Ele era um pesquisador com uma boa contribuição à ciência, mas agora estava à espera da aposentadoria merecida. Era assim que o viam seus estudantes, alguns doutores, muitos mestres e outros tantos bacharéis. Certo dia uma de suas doutorandas chegou ao laboratório e anunciou:

-Vi um anjo! E mais, tirei uma foto dele!

O Professor e os alunos já no laboratório, àquela hora da manhã, entreolharam-se espantados. Será que ela pirou? Notando a descrença de todos, o Professor pede a máquina digital que ela havia utilizado e, seguindo suas instruções, tenta fotografar o anjo. No dia seguinte, diante de todos, ele diz:

-Eu também fotografei o anjo! E é do sexo feminino!

Foi um reboliço em toda a Universidade. Todos diziam que o achado merecia ser publicado na Nature, Science ou PNAS. O Reitor logo sugeriu que se patenteasse a descoberta e lhe contou, reservadamente, ter indicado seu nome para o Prêmio Nobel.

Leia mais!

Monday, February 02, 2009

HISTÓRIAS DAS TERÇAS 39


Diálogos internos

Quase sempre Josué escolhia o fim da tarde para caminhar pela cidade, pois era quando tinha mais tempo e podia apreciar o anoitecer sobre o rio. Logo no início da caminhada ele desenvolvia um diálogo silencioso consigo mesmo e que retomava, muitas vezes, um diálogo real que havia tido com alguém anteriormente. Certa vez acabou resolvendo, na sua imaginação, um problema surgido com uma amiga:

-Marisa você precisa decidir se dá atenção a ele ou se o esquece de vez.
- ...
-Se você quiser, eu dou um toque...
-
-Ok! Você é quem manda. Depois não vá se arrepender.
- ...
-Acho melhor eu dizer que você adoraria receber aquele canivete suíço que ele lhe prometeu.

O diálogo foi interrompido por um ciclista que quase o atropela.

Leia mais!

Sunday, February 01, 2009

HISTORIETAS DE SEGUNDA-FEIRA 112


Esperando por Ella

Caminhando com seu tênis de última geração ele exercitava sua capacidade de dialogar solitariamente. Agora, com mais vontade, pois ele queria deixar o alemão de fora de sua vida. Ubirajara pensava nesse fato simples que era saber ter chegado mesmo àquela idade em que Ella fica à espreita na soleira do quarto, à noite, quando os netos começam, estimulados pelos pais, a lhe chamar de “vôzinho”:

- Filho vai dar boa noite ao Vôzinho e diz que nós já vamos pra casa...

Aí é mesmo só esperar pela entrada d´Ella.
Leia mais!