Tuesday, May 31, 2011

AFORISMOS, APOTEGMAS, MÁXIMAS



"O sábio teme o céu sereno; em compensação, quando vem a tempestade ele caminha sobre as ondas e desafia o vento."


Confúcio (551 a.C. – 479 a.C.)



Leia mais!

Sunday, May 29, 2011

HISTORIETAS DE SEGUNDA-FEIRA 224


UM BURACO MAL CHEIROSO

Os dois amigos até parece que iam tirar as respectivas mães da forca. Estavam com pressa, pois tinham ouvido notícias alarmantes sobre a cidade. Ao chegarem perto da ponte sobre o Rio viram, ainda na bruma matinal, as torres da velha igreja colonial, totalmente degradada. Logo depois de cruzarem a ponte já carcomida pela ferrugem eles viram a cidade. Antiga como a própria colonização da região. Ricardo e Rogério tiveram uma surpresa, pois toda a cidade, construída sobre uma colina onde ficava a Igreja, agora mergulhava em um enorme buraco onde as ruas e casas e tudo mais se misturavam a um miasma, tremendo mal cheiro que permeava todo o espaço.
Leia mais!

JANUÁRIO 3


JANUÁRIO E OS GONZOS

Havia uma casinha no meio dos matos que ele nunca havia notado. Januário apeou do cavalo, subiu ao alpendre e abriu a porta. Entrou com os gonzos fazendo um barulho de ferrugem. Quando fechou a porta sentiu uma vontade enorme de sair para ouvir os gonzos novamente. Resultado é que não viu sentada em uma cadeira uma jovem exuberante que, certamente, esperava por uma palavra sua. E lá fora o sol cegava seus olhos.

Leia mais!

Friday, May 27, 2011

Tuesday, May 24, 2011

AFORISMOS, APOTEGMAS, MÁXIMAS


"Nem todo problema que um rapaz tenha com sua namorada se deve ao modo capitalista de produção."

Herbert Marcuse (1898 – 1979)


Leia mais!

Sunday, May 22, 2011

HISTORIETAS DE SEGUNDA-FEIRA 223


ESTOU NO ELENCO

Você pergunta sobre meus planos. Meus planos estão terminados. Estou pronto para ir. Só falta ver esse cáuboi, pois eu pertenço ao elenco e não sei ainda como é que o filme termina.
Leia mais!

Friday, May 20, 2011

PREVENDO A CHEGADA D´ELLA

VEJA MATÉRIA VEICULADA HOJE (20/5) NO JORNAL "BOM DIA BRASIL" SOBRE TESTE QUE PREVÊ A VERDADEIRA IDADE BIOLÓGICA DAS PESSOAS PELA ANÁLISE DO TAMANHO DOS TELÔMEROS.



texto chamadacontinuação do texto/postagem
Leia mais!

Thursday, May 19, 2011

VEJA E COMPRE O LIVRO "HISTORIETAS"

O livro "Historietas", de autoria de José Xavier Filho, está à venda no site Calaméo (http://pt.calameo.com/books/000660040ea86110991ed). Você poderá consultar algumas páginas da obra e decidir sua compra. O link é este que está aí abaixo:
























Leia mais!

Wednesday, May 18, 2011

BLOG DO ALON FEUERWERKER

Não posso me furtar a indicar para leitura esse texto do Alon Feuerwerker sobre assunto tão atual como é a questão de promover a escrita errada. Vejam o "Exemplo a imitar":

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Exemplo a imitar (18/05)

Para serem o que são hoje, os chineses precisaram antes livrar-se da herança da Revolução Cultural, que eles mesmos tinham inventado. Talvez devêssemos copiá-los nessa decisão. Os resultados são suficientemente bons para servir de referência

Em qualquer avaliação séria, a comparação do desempenho escolar de estudantes brasileiros e chineses dá um resultado, digamos, comparável ao que seria o placar de um eventual jogo de futebol entre o catalão Barcelona e o pernambucano Íbis.

Antes que me acusem de preconceito, defendo-me argumentando que o Íbis é paradigma de propaganda da própria ruindade. Deve haver algum time da Catalunha que perderia fácil para Santa Cruz, Náutico ou Sport, mas infelizmente não conheço.

Voltando à coluna, a supremacia chinesa sobre nós não chega a espantar, pois aquele país disputa com os Estados Unidos e os melhores centros europeus e japoneses a liderança em formação e educação.

Enquanto isso nós patinamos.

As melhores universidades chinesas já ombreiam em qualidade com as do assim chamado Primeiro Mundo. A ultrapassagem é apenas questão de (pouco) tempo.

As nossas? Vêm muito atrás.

O moderno progresso chinês não brotou espontaneamente. É resultado também de uma ruptura política. A ruptura com a Grande Revolução Cultural Proletária dos anos 60 e 70 do século passado.

Resumir é sempre complicado, mas aquele movimento decorreu de uma luta interna no Partido Comunista, entre o então líder Mao Tse-tung e os adversários “direitistas”. Resumindo, Mao radicalizou a revolução para concentrar poder.

Segundo os conceitos da Revolução Cultural, a luta de classes que penetra todas as esferas da atividade humana se manifesta, em consequência, também no campo da cultura.

E é necessário produzir uma nova cultura, das classes oprimidas, para contrapôr à das classes opressoras. Mas aí surge o problema. O que seria essa tal cultura dos opressores, a cultura a eliminar?

Bem, já que segundo o marxismo a ideologia dominante numa certa formação social é a ideologia da classe dominante, o critério maoísta-reducionista -bem desenhado na Revolução Cultural- deixa sob suspeição todo conhecimento pré-existente.

Não será exagero dizer que hoje a China é o que é porque lá atrás enterrou esse dogmatismo, e bem enterrado. Quando Mao morreu o PC chinês rompeu com o maoísmo, e o entorno mais próximo do ex-líder foi removido das posições de poder.

Tudo para que o país pudesse avançar.

Quem tiver curiosidade deve pesquisar pela trajetória da “Gangue dos Quatro”.

Os resultados da experiência chinesa ajudam a defender por que o Brasil precisa se livrar rapidamente de um certo maoísmo tardio, inclusive no terreno educacional. Para o qual a libertação dos explorados e oprimidos passa não pela superação da ignorância, mas pela revelação da beleza nela contida.

Daí que falar português errado seja bonito, por expressar a condição cultural dos oprimidos, enquanto explicar para a criança pobre que existe o certo e o errado, no falar e no escrever, é preconceito de classe.

Em termos práticos, o resultado é o reforço das diferenças sociais. O culto do pobrismo só atrapalha mesmo é os pobres.

Quem tem dinheiro pode procurar para o filho uma escola particular que ensine bem português, matemática, ciências, história, geografia. Quem não tem e depende da escola pública vê diariamente o filho voltar para casa sabendo o mesmo tanto que sabia quando saiu pela manhã.

O resultado prático do pobrismo é o pobre servir de cobaia no laboratório do relativismo. Claro, pois não consta que os espertos defensores do vale-tudo pedagógico deixem seus próprios filhos, netos ou sobrinhos à mercê.

E assim o suposto impulso revolucionário revela o que é, na essência: o culto da acomodação e da inércia. Ainda que arrogantes. Uma autêntica pedagogia da opressão.

E mascarada da forma mais cruel, com tintas libertárias.

Os chineses, que inventaram essa coisa, decidiram livrar-se dela rapidinho. Talvez devêssemos imitá-los nisso. Os resultados recomendam.

Coluna (Nas entrelinhas) publicada nesta quarta (18) no Correio Braziliense.


Leia mais!

Tuesday, May 17, 2011

AFORISMOS, APOTEGMAS, MÁXIMAS

“Quem não sabe por no gelo seus pensamentos não deve se entregar ao calor da discussão”

F. Nietzsche (1844 - 1900)


Leia mais!

Sunday, May 15, 2011

HISTORIETAS DE SEGUNDA-FEIRA 222

UM SONHO ESTRANHO

Rubinho passou a noite acordado, uma tremenda insônia. Ao deitar pelas onze horas ele pensou que dormiria bem, pois havia recebido um telefonema de uma amiga querida. Qual o quê! Ele ouviu todas as batidas do grande relógio na sala, horas e meias horas. Todas. Lá pelas seis horas resolve levantar. Tomou um banho quente e preparou-se para mais um dia. Sentado à mesa do café lembra o sonho que tivera há pouco: ele montava um cavalo alazão que caminhava a trote lento acompanhando uma marcação circular no curral da fazenda de seu pai. O animal parava de vez em quando diante de uma espécie de estação; eram 12 e entre cada uma delas havia um pequeno marco diante do qual o cavalo balançava a cabeça para um lado e pro outro.

Agora Rubinho não sabe se dormiu ou sonhou. Talvez não tenha acontecido nem uma coisa nem outra.


Leia mais!

Saturday, May 14, 2011

JANUÁRIO 2


JANUÁRIO VAI À PESCA

Pescar com bombas de dinamite era o seu fraco. Assim parecia. No domingo Januário saiu em seu barco pretendendo jogar umas bombas no Poço Fundo, bem no meio do rio. A cada remada com o braço esquerdo ele avançava um pouco e quando passava o remo para o braço direito e puxava a água ele sentia agora que voltava um pouco. Quando deu meio dia ele observou que não havia saído do lugar.


Leia mais!

Friday, May 13, 2011

GRANJA - RUA JOSÉ XAVIER




Leia mais!

Tuesday, May 10, 2011

AFORISMOS, APOTEGMAS, MÁXIMAS


"O homem pode tanto quanto sabe."


Francis Bacon (1561 – 1626)


Leia mais!

Monday, May 09, 2011

HISTORIETAS DE SEGUNDA-FEIRA 221

TIROS AO LUAR


Roberto contava a seu amigo o sonho que tivera noite passada:

Era noite alta quando Bob ouviu ruídos vindos da cancela. Pegou seu rifle e abriu a porta vagarosamente. Ele viu um sujeito alto e de chapéu com um revólver que reluzia à pequena luz do luar parecendo estar a caça de alguma coisa ou de alguém. Girando um pouco o corpo ele viu um outro camarada deitado embaixo de uma carroça parada ali perto. Este também estava armado. Subitamente o que estava caminhando começou a atirar no que estava sob a carroça. Este respondeu com tiros. Tiros para cá, tiros para lá ele viu um vulto rolar de baixo da carroça e parar junto a um tronco. Sem muitas dúvidas Bob atira no homem de chapéu e este sai em desabalada carreira e pula na sela de um cavalo parado ali perto.

O amigo que ouvia essa história disse:

Roberto você invadiu meu sonho! Eu sonhei que estava embaixo dessa carroça e o sujeito de chapéu atirava em mim e eu rolava. No meu sonho ninguém aparecia para afugentar esse sujeito. Graças a Deus você me salvou!


Leia mais!

Friday, May 06, 2011

GRANJA - LUZ PARA TODOS


Leia mais!

Tuesday, May 03, 2011

AFORISMOS, APOTEGMAS, MÁXIMAS


"O amor é o desejo de alcançar a amizade de uma pessoa que nos atrai pela beleza."

Cícero (106 a.C. – 43 a. C)

Leia mais!

Monday, May 02, 2011

HISTORIETAS DE SEGUNDA-FEIRA 220

TROCAR DE CARRO

Era uma reunião entre poucas pessoas, mas só um moço falava. A princípio ele, pois foi o próprio Ricardo, o protagonista principal (?) quem me contou, dirigiu-se a alguém não identificado e narrava-lhe episódios de sua vida; após alguns minutos encerrava dizendo:
- Veja eu vou até trocar de carro! Em seguida ele se dirigia a sua irmã falecida e contava a mesma história, com algumas variações e, ao final dizia: - Veja eu vou até trocar de carro! Finalmente dirigiu-se à figura de seu pai e, entre muitas explicações e inquirições perguntava: - Como vai o mercado de couros de tejo? A figura de seu pai respondia que este mercado não estava bem. Após muita conversa ele, Ricardo, termina o diálogo dizendo: - Veja eu vou até trocar de carro! Ouvindo tudo isso, de braços cruzados, estava o seu primo Ciro com seu sorriso enigmático.
Leia mais!