Thursday, January 01, 2009

O Povo da Malhadinha/O Povo da Granja 80


O saudosista

Raimundo do Espírito Santo - 8

O rio está imundo, pois as pessoas jogam lixo mesmo no que se chama piscinão e, como não abrem as comportas do açude que o alimentam, não há água corrente – resultando uma enorme podridão. O calçamento das ruas está esburacado, pois obras de saneamento não foram concluídas. Praças que existiam antes não existem mais; os passeios foram destruídos, e as árvores cortadas pelo tronco, mostram que o suposto remodelamento dos passeios está suspenso. O prédio da Estação Ferroviária, a cada dia que passa, perde um pouco de sua estrutura. O shopping, supostamente moderno, tomou o lugar do velho casarão do século XIX que, este sim, tinha uma casinha lá fora para as necessidades de todos os dias. A estas observações retruca Raimundo:
- Ah! Como lembro da velha Macaboqueira de antigamente...

1 comment:

Blogue Granja Ceará said...

A personagem faz observações válidas e coloca em questão a memória e o mito do moderno.

Seu blogue fala, ou melhor, tecla o que muitos temem.

Feliz 2009 e vamos teclar pra quebrar.